Fim de semana de estreias na Nascar: Gateway e Portland

As duas principais divisões da Nascar estreiam pistas neste fim de semana. A Cup pela primeira vez acelera no World Wide Technology (ou Gateway), oval de 1.25 milha na cidade de Madison, junto à divisa de Illinois com o Missouri (Saint Louis). Um traçado com curvas de tamanhos diferentes – 3 e 4 são mais longas que 1 e 2 –; inaugurado em 1996 e que recebe frequentemente a Fórmula Indy, além da Camping World Truck Series, novamente em ação no sábado (4).

O namoro entre a administração da pista e a Nascar é antigo e finalmente se concretizou este ano. As estruturas externas do circuito foram melhoradas e a expectativa é de casa cheia no domingo. Boa parte do grid da Cup conhece bem a pista por participações na Truck (1998 a 2010 e 2014 a este ano) e na Xfinity (1997 a 2010). Até por isso, nenhum deles está inscrito na corrida das picapes, que poderia servir como adaptação.

Novidade também entre os pilotos. Zane Smith faz sua estreia na principal categoria em lugar de Chris Buescher, com diagnóstico de Covid, no Ford Mustang #17 da RFK Racing. No Camaro #16 da Kaulig, Ben Rhodes participa da qualificação, já que o titular A.J. Allmendinger corre pela Xfinity em sábado. De todo modo, com a troca de piloto, AJ largará em último em Gateway. A Enjoy Illinois 300, a partir das 16h30 (de Brasília) terá 240 voltas, o equivalente a 300 quilômetros.

Pitstops diferentes

A Xfinity acelera pela primeira vez em um dos mistos mais tradicionais dos Estados Unidos: o Portland International Raceway, com seu traçado de 1.98 milha (3.185m). A pista recebeu duas vezes a Truck Series e tem como destaque a forte freada após o retão dos boxes para um S traiçoeiro. Para completar, há a possibilidade de chuva, que já deu as caras nos treinos desta sexta.

A organização resolveu alterar o sistema de pitstops para a corrida – os times não contam com a ajuda dos mecânicos da Cup. Assim, todos os períodos de bandeira amarela que não sejam os finais de segmento serão considerados ‘Quick Yellows’, e todos os carros devem entrar assim que o pit for aberto. Neles, só será possível trocar os pneus.

Além disso, a ordem do pelotão será congelada – ninguém ganha ou perde posição nas paradas em amarela. Nos casos de bandeira verde, o tempo entre a entrada e a saída dos boxes não pode ser menor que um minuto.

Entre os estágios, haverá pitstops neutralizados de três minutos de duração, contados a partir do momento em que o último carro entrar em sua marca. Nesse período, os pneus devem ser trocados primeiro, e só então é permitido o rebastecimento. A Pacific Office Automation 147 terá 75 voltas. No grid, alguns especialistas em muistos como Spencer Pumpelly (Ford Mustang #08/SS – GLR) e o estreante Mason Filippi (Camaro #91/DGM), com experiência no IMSA Michelin Challenge.

Siga o Racemotor nas redes sociais:

Instagram

Facebook

Twitter

Comentário

Este site utiliza cookies para aprimorar sua experiência. Clique em Aceitar se concordar. Aceitar Leia mais