Diferença mínima na F-1 em Montreal. Leclerc perde 10 posições

Apenas 81 milésimos de segundo separaram Max Verstappen (Red Bull) de Charles Leclerc (Ferrari) na sexta-feira de treinos livres para o GP do Canadá, nona etapa do Mundial de F-1. Tanto no FP1 quanto no FP2, o holandês foi o mais rápido. Conseguiu a marca de 1min14s127 na segunda sessão, com os pneus macios.

Leclerc conta com uma nova unidade de potência (a exceção foi o turbo, um dos já usados em seu carro nos GPs anteriores), depois do problema que levou ao abandono no Azerbaijão. E se inicialmente os componentes trocados não superavam o limite do regulamento, foi preciso instalar uma terceira central eletrônica de controle, o que não estava nos planos do time. E fará o ferrarista perder 10 posições no grid.

Marmotas

Mesmo com o pouco tempo entre as duas provas, alguns times contam com novos componentes aerodinâmicos. A Mercedes aposta em recortes no assoalho para tentar reduzir os efeitos do porpoising. George Russell fechou o dia com a oitava posição (+0s844) enquanto Lewis Hamilton, mais competitivo no FP1, foi apenas o 13º. Logo atrás da Red Bull de Sergio Perez.

Desempenho positivo da Aston Martin, com Sebastian Vettel dono do quarto melhor tempo. Fernando Alonso também se destacou. Pela manhã, ficou com o terceiro tempo apesar dos pneus médios e, mais tarde, conseguiu a quarta marca. Demonstrou ter um carro eficiente em condições de corrida.

Quem não demorou a aparecer no Circuito Gilles Villeneuve foram as marmotas que vivem na Ilha de Notre-Dame.

O japonês Yuki Tsunoda (AlphaTauri) também perde posições no grid por troca de componentes do motor. Como praticamente toda a unidade é nova (a quarta, com três permitidas), vai largar domingo do fim da fila.

Siga o Racemotor nas redes sociais:

Instagram

Facebook

Twitter

Comentário

Este site utiliza cookies para aprimorar sua experiência. Clique em Aceitar se concordar. Aceitar Leia mais