Pole de Rosenqvist no segundo GP de Indianápolis da Indy

Felix Rosenqvist, no Dallara Chevrolet #7 da Arrow McLaren SP, vai puxar o pelotão no Gallagher GP of Indianapolis, segunda visita da Fórmula Indy ao circuito misto do Indianapolis Motor Speedway. Com o futuro incerto na categoria diante da confusão envolvendo o campeão Alex Palou – contratado pela McLaren, mas alvo de ação judicial da Ganassi –; o sueco deu mais um sinal de que gostaria de seguir onde está em 2023. Com alguns dos candidatos ao título no fundo do grid, a prova das 13h do sábado (de Brasília) pode chacoalhar mais uma vez o campeonato.

A confiança no equipamento era tanta que Rosenqvist completou apenas uma volta na primeira fase da qualificação, para poupar um jogo de pneus macios (reds). No Q2, foi superado apenas por Will Power (Dallara Chevrolet #12/Penske) e, no Fast Six, marcou 1min10s226 para superar Alexander Rossi (Dallara Honda #27/Andretti) por 0s276. “Eu estava relaxado e antes que a equipe me informasse sabia que tinha sido uma ótima volta”, disse o pole.

Pato O’Ward confirmou o bom momento da McLaren e largará em terceiro, com Power a seu lado. Liberado pelos médicos para correr após o acidente forte na corrida 2 em Iowa, Josef Newgarden (Dallara Chevrolet #2/Penske) sairá em quinto, seguido pelo dinamarquês Christian Lundgaard (Dallara Honda #30/Rahal Letterman Lanigan), que em 2021 surpreendeu com a pole em sua estreia, no mesmo circuito.

Problemas

Na Ganassi, apenas Palou (Dallara Honda #10) avançou à segunda fase da qualificação e sairá em sétimo. Líder do campeonato, Marcus Ericsson teve problemas no #8 em sua primeira saída, não registrou tempo e largará em último. Scott Dixon (#9) não foi além da P.20.

Hélio Castroneves (Dallara Honda #06/Meter Shank Racing) também passou do Q1 e sairá em 16º, graças à volta em 1min10s7560. Treino complicado também para Scott McLaughlin (#3/Penske); 15º, e Romain Grosjean (#28/Andretti), 22º na pista em que ano passado foi ao pódio.

IMSA

Nesta sexta, o Speedway confirmou que a IMSA volta ao circuito de 15 a 17 de setembro do ano que vem, para a ‘Battle of the Bricks’, com duas horas e 40 de duração, incluindo a GTP, novo nome da categoria principal. A ideia é, a partir de 2024, fazer uma corrida mais longa, que pode ser incluída no Endurance Challenge, ao lado de Daytona, Sebring, Watkins Glen e Road Atlanta (Petit Le Mans).

Gallagher GP of Indianapolis

NTT Indycar Series: 13ª etapa

Siga o Racemotor nas redes sociais:

Instagram

Facebook

Twitter

Comentário

Este site utiliza cookies para aprimorar sua experiência. Clique em Aceitar se concordar. Aceitar Leia mais