Treinos coletivos abrem semana das 24h de Le Mans com seis brasileiros

Chegou a hora da mais tradicional prova de longa duração do automobilismo internacional. O próximo fim de semana será da 92ª edição das 24h de Le Mans, válida como quarta etapa do Mundial de Endurance (FIA WEC). Como tradição nos últimos anos, a movimentação em torno do Circuito da Sarthe se inicia na semana anterior. É o momento da vistoria técnica na Place des Jacobins, com direito neste sábado a um desfile dos carros pelas ruas da cidade. E do domingo de testes coletivos que servem como única preparação para o desafio com largada no dia 15.

Se a edição dos 100 anos, com vitória do hypercar Ferrari 499P, já se mostrou espetacular, a corrida deste ano promete ainda mais incerteza. Afinal, quatro marcas se juntam ao grid da principal categoria dos protótipos: a BMW está de volta 25 anos após a vitória do V12 LMR com seu M V8 Hybrid LMDh (chassi Dallara). Retorno também da Alpine, com o A424 LMDh (chassi Oreca) e Mick Schumacher como um dos pilotos do #36.

A Lamborghini estreia na Le Mans Hypercar (LMH) com seu SC63 (chassi Ligier). Os resultados na IMSA e no próprio WEC mostram que o protótipo da marca de Sant’Agata Bolognese ainda tem muito a evoluir. O objetivo é justamente de acumular quilometragem e experiência para o restante da temporada e as 24h de 2025. Também italiana, a Isotta Fraschini alinha seu Tipo 6C Competizione com motorização AMG. Além do menor orçamento (o running do carro é feito pela Duqueine), a incógnita é o desempenho dos novatos Carl Bennett e Antonio Serravalle nos 13.626m do circuito.

Eles e os demais estreantes precisarão confirmar sua participação neste domingo, completando pelo menos 10 voltas com tempos competitivos. Casos de dois dos seis brasileiros no grid.

Drugovich

Felipe Drugovich fará sua primeira participação no Cadillac V-Series R #311 da Whelen / Action Express, ao lado de Pipo Derani e Jack Aitken. O campeão da F-2 em 2022 causou ótima impressão em seu primeiro contato com o protótipo norte-americano. O piloto de Maringá começou a se adaptar aos protótipos com a participação na European Le Mans Series, com o Oreca LMP2 da Vector Sport.

Nicolas Costa faz toda a temporada do WEC com o McLaren 720S GT3 #59 da United Autosports na LMGT3. O carioca vem da quarta posição nas 6h de Spa-Francorchamps, o que aumenta a expectativa para a estreia. “A ansiedade está alta, mas, com certeza, participar desta prova é um sonho”, diz.

Os outros quatro brasileiros conhecem bem o desafio das 24h de Le Mans. Derani encara a clássica da endurance pela nona vez. Felipe Nasr está de volta no terceiro Porsche 963 LMDh oficial, o #4. Augusto Farfus comanda o trio do BMW M4 GT3 #31 da WRT que venceu em Imola. Para o paranaense, será a sexta participação.

Daniel Serra espera retornar ao alto do pódio, o que já conseguiu em duas ocasiões entre os GTs. O tricampeão da Stock está na Ferrari 296 GT3 #86 da GR Racing, ao lado de Riccardo Pera e Michael Wainwright.

Demais novidades

Uma das principais atrações das 24h de Le Mans deste ano é a presença de Valentino Rossi. O Doutor pilota a segunda BMW M4 GT3 da WRT, não por acaso, com o número 46. Forma trio com Maxime Martin e Ahmad Al Harthy e já mostrou, no WEC e no GT World Challenge, ser capaz de manter tempos de volta bastante interessantes.

Estreia ainda do Ford Mustang GT3, do Lexus RC-F GT3 e do Lamborghini Huracán GT3 Evo 2. No Toyota GR010 Hybrid #7, Mike Conway, que sofreu uma queda de bicicleta na preparação para a prova, dá lugar ao retorno do argentino José Maria Lopez.

Pilotos e equipes contarão neste domingo com duas sessões de três horas cada (5h às 8h, de Brasília, e 10h30 às 13h30) para o trabalho de acerto, ajuste ao Balance of Performance (BOP) e preparação para as 24h de Le Mans.

Siga o Racemotor no:

Threads

Instagram

Facebook

Twitter

Você também pode gostar
Deixe seu comentário

Este site utiliza cookies para aprimorar sua experiência. Clique em Aceitar se concordar. AceitarLeia mais