Conselho Mundial da FIA aprova data do E-Prix de São Paulo

Paris sediou nesta quarta-feira mais uma reunião do Conselho Mundial de Esporte Motor (WMSC) da FIA, órgão que avalia e aprova regras, orientações e calendários das categorias sob o guarda-chuva da entidade. A principal decisão envolve diretamente o Brasil, já que diz respeito às datas da temporada 2023 do Mundial ABB FIA da Fórmula E.

O primeiro E-Prix de São Paulo acontecerá em 25 de março, inicialmente como sexto de 13 eventos. No traçado previsto para a região do Anhembi haverá apenas uma corrida. As rodadas duplas acontecerão em Ad Diriyah (Arábia Saudita); Seoul (Coreia do Sul), Jakarta (Indonésia), Roma (Itália) e Londres (Inglaterra). O traçado da cidade histórica saudita deixa de receber a abertura da competição. Privilégio que passa para a Cidade do México, em 14 de janeiro.

Três datas ainda não têm locais confirmados. Chief Championship Officer da F-E, Alberto Longo revelou que a expectativa é manter uma prova nos Estados Unidos (provavelmente a de 11 de março) e andar pela primeira vez na Cidade do Cabo (África do Sul). Hyderabad, na Índia, é outra estreia, ao lado de São Paulo. E Vancouver, que seria sede de um E-Prix este ano (cancelado por problemas de licenciamento municipal), não aparece na lista.

Fórmula 1

O Conselho Mundial também aprovou determinações ligadas à F-1. Nos GPs provas sob temperaturas mais altas, as equipes poderão resfriar o combustível até 20ºC, desde que sob autorização oficial. Além disso, a partir de agora é possível trocar a unidade de potência (por uma mais nova) em regime de parque fechado (entre a qualificação e a corrida).

Houve ajustes ainda nos testes para determinar a flexão das asas dianteira e traseira. E a programação oficial das etapas volta a marcar a entrevista coletiva obrigatória dos pilotos para as quintas-feiras, como solicitado pela GPDA, a associação que os representa.

Kart

Novidades a vista também no kart. Para reduzir os gastos das competições nacionais, a FIA definiu a criação de motores na especificação OK-N (de Nacional). A base serão os atuais propulsores empregados no Mundial, no Europeu e na WSK Series com menos potência e maior durabilidade. Além disso, haverá junto ao Campeonato do Mundo OK e OKJ uma final OK-N e OKJ-N, com chassi e motorização únicos. Os participantes se qualificarão em eventos de seus países.

A pista italiana de Franciacorta será a sede dos Mundiais OK e OKJ em 2023.

Siga o Racemotor nas redes sociais:

Instagram

Facebook

Twitter

Comentário

Este site utiliza cookies para aprimorar sua experiência. Clique em Aceitar se concordar. Aceitar Leia mais